Financiamento para energia solar fotovoltaica

Para incentivar o consumo consciente e o uso de energias renováveis, os governos, ao redor do mundo têm buscado estimular projetos voltados à promoção da energia solar fotovoltaica, por meio de linhas de financiamento que os viabilizem.

Agora, foi a vez do estado de Goiás anunciar o seu apoio por meio do programa Goiás Solar. Lançado em fevereiro deste ano, o programa já teve algumas medidas anunciadas e que já podem ser utilizadas e outras que, embora já tenham sido comentadas, devem ser implantadas ao longo de 2017.

Tempo bom para a energia solar em Goiás

Quando se fala em energias renováveis e em consumo consciente, muitas vezes, se pensa no consumo final. Porém, a adoção de políticas públicas que incentivem o desenvolvimento de projetos e o uso de energias renováveis, vai além. E os estados têm consciência que, para que continuem crescendo, precisam investir e proporcionar infraestrutura para que as empresas também cresçam, movimentem a economia e gerem mais empregos.

A capital de Goiás fica localizada no que é chamado “Cinturão do Sol”, região em que a radiação solar chega, em média, a 5.7 kWh/m². Isso torna os projetos de energia solar ainda mais viáveis. Estimular esse crescimento é o objetivo do governo goiano ao lançar o Programa Goías Solar.

Uma das ações é uma linha de financiamento operada pela Goias Fomento, voltada para as pequenas e microempresas e também para os empreendedores individuais.

A linha já está aberta para contratação. Além dessa ação, também está planejado:

  • Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO): Criação de uma linha de crédito chamada FCO, voltada aos projetos de energia solar fotovoltaica;
  • Meio Ambiente: O licenciamento ambiental será simplificado para os empreendimentos que têm como objetivo a geração de energia solar fotovoltaica;
  • Habitação: nas casas de habitação social, serão instaladas placas de energia solar.

Financiamentos para pequenos e médios empresários

Dar a oportunidade para que os empreendedores individuais e as pequenas e microempresas invistam em energia solar fotovoltaica é uma forma de ampliar os benefícios na cadeia e acelerar o desenvolvimento da região, e prevenir medidas como racionamento.

Confira as regras para o financiamento, de acordo com a modalidade:

Para as pequenas e microempresas:

  • valor máximo financiável: R$ 200 mil;
  • prazo de pagamento: 60 meses;
  • carência: até seis meses;
  • juros: 1,53% ao mês.

Para os empreendedores individuais:

  • o prazo de pagamento, a carência e os juros são os mesmos;
  • valor máximo financiável: R$ 30 mil;
  • podem ser financiados todos os bens e os serviços relacionados dentro do projeto de energia solar fotovoltaica incluindo, inclusive, a infraestrutura necessária como a montagem e instalação de equipamentos.

Como uma consultoria financeira pode ajudar na hora do financiamento?

Antes de contratar um financiamento, é também importante conhecer o potencial dos projetos que podem ser realizados em sua empresa. Para isso, vale buscar por uma consultoria financeira que seja especializada em projetos de eficiência energética e energias renováveis. Com esse apoio, será possível identificar qual é a melhor opção de financiamento para viabilizar seu projeto. A Atla Consultoria auxilía empresas na melhor estruturação financeira de projetos acima de R$ 1 milhão.

A Atla é uma consultoria que atua há 7 anos no mercado de energia. Contate-nos para saber mais sobre as formas de viabilizar financeiramente seus projetos de eficiência energética.

AT_CTA_Rodape_eBook06_EnergiasAlternativas

  • Lester Izaac

    1.53% am não é nada incentivador ou digno de comemoração. Isso dá quase 20%aa ! Os juros estão iguais ou até maiores que a TIR do investimento, dependendo da tarifa paga pelo consumidor. E a não-cobrança do ICMS sobre energia produzida, TUD e TUSD? Tem muita coisa estrategica pra ser resolvida ainda.

  • Luiz Fellipe Mello Salomon

    Concordo com o que o Lester disse. 1,53 a.m. é uma boa TIR. Além disso, “apenas” $200 mil de financiamento máximo “inclue fora” os que realmente podem investir. Um financiamento de R$ 200k é para um cliente com 3000kWh/mês de consumo (ou, mais ou menos, R$2000 de conta por mês). Sem os IOFs e etceteras (seguro, bolão, rifa, etc) que o gerente do banco vai incluir, dá uma prestação de mais de R$ 5.000 por mês. Não pode esquecer que o “pequeno” tem que ter uma área de teto pra instalação de 180m2. Por fim, alguns estados, no ímpeto de não cobrar ICMS como incentivo, deram um tiro no pé, tirando as indústrias que se creditam de ICMS da energia em sua produção. Mas um dia vai…

  • Deck Engenharia

    Existe algum banco e linha de credito para clientes(microempreendedores) do Rio de Janeiro?


Notice: get_currentuserinfo está obsoleto desde a versão 4.5.0! Use wp_get_current_user() em seu lugar. in /home/prsab8yx/public_html/atlaconsultoria.com/wp-includes/functions.php on line 3753