ineficiência energética

Já parou para analisar quanto custa o gasto excessivo de energia elétrica para a sua empresa?

Quanto disto é desperdício e quanto poderia ser revertido em projetos de eficiência energética? A ineficiência energética é uma realidade na maioria das indústrias brasileiras, gerando um alto custo tanto para o negócio, quanto para o País.

No Brasil, cerca de 13% do consumo de energia anual é desperdiçado, o que equivale a 67% da produção gerada pela Usina de Itaipu. Só para dar um exemplo, em um shopping, cuja conta de energia elétrica pode chegar a R$ 1 milhão por ano, uma parcela de R$ 180 mil refere-se a desperdícios com iluminação e R$ 135 mil são gastos desnecessários com ar condicionado.

Do consumo de energia na indústria brasileira, 60% correspondem a motores, dos quais 20% têm mais de 25 anos e consomem 40% de energia a mais que um motor de alto rendimento e mais novo.

Aumentos no preço de energia

Se aliarmos o custo da ineficiência energética aos aumentos no preço de energia elétrica que vivemos nos últimos tempos, nos deparamos com um valor realmente pesado no bolso das indústrias.

A previsão é de que a tarifa de energia elétrica fique cerca de 7,17% mais cara este ano. Isto por conta de acertos que o governo precisa fazer com empresas do setor de transmissão de energia. Para a indústria, por se tratar de um grande consumidor, a tarifa pode ficar até 40% mais cara.)

O cenário, como vimos até aqui, não é muito animador. Mas há uma boa notícia: Algumas atitudes simples e investimentos em projetos de eficiência energética podem mudar estes números drasticamente, gerando economia para o negócio e, ainda, melhorando a produtividade.

Como driblar a ineficiência energética?

As soluções para driblar a ineficiência energética vão desde a troca de lâmpadas antigas pelas mais modernas até a renovação dos motores do parque fabril e a implantação de projetos de eficiência energética.

A troca de lâmpadas fluorescentes pelas de LED, que tem um consumo muito menor, e a utilização de iluminação inteligente, com sensores de presença, é um exemplo de solução sem nenhuma complexidade e que pode trazer reduções significativas nos custos com energia.

Como mencionamos no início deste artigo, motores elétricos com muitos anos de uso, que necessitam de manutenção frequente e que podem estar desregulados, são um gargalo enorme no consumo de energia elétrica.

Mesmo que a troca destes equipamentos represente um desembolso considerável no momento em que é realizado, o esforço compensa. No médio e longo prazos, é possível reverter na redução de custos e, também, no aumento da produtividade.

Os chamados “edifícios inteligentes”, construídos para proporcionar maior economia nos custos com refrigeração e iluminação também, têm se mostrado eficazes. É uma alternativa que realmente diminui o consumo e evita o desperdício causado pelo mau uso dos aparelhos de ar condicionado e pela iluminação em locais onde não se faz necessária.

Redução de custos e sustentabilidade

Apostar em um projeto de eficiência energética na indústria deve ser o caminho não apenas para reduzir custos, mas para poupar os recursos naturais e utilizar fontes de energia renováveis, promovendo a sustentabilidade em nosso país.

Agora você deve estar se perguntando: mas como viabilizar financeiramente um projeto de eficiência energética? Diversas linhas de crédito estão disponíveis em várias entidades financeiras.

São recursos aprovados e destinados para quem quer desenvolver este tipo de projeto, seja em âmbito particular, numa comunidade ou na indústria, a grande consumidora de energia elétrica que pode ser muito beneficiada. Em muitos casos a própria economia gerada paga a parcela de um financiamento, sobrando dinheiro para o cliente poder investir em outros setores de sua fábrica, por exemplo.

Para acessar essas linhas de crédito, você pode contar com a Atla, uma consultoria especializada em viabilizar financiamentos para projetos de eficiência energética. Com expertise de vários anos no mercado e extensa rede de relacionamento com instituições financeiras, a Atla pode orientar sobre a melhor opção para viabilizar o projeto de eficiência energética da sua empresa.

Consulte a Atla e descubra como alavancar financeiramente o projeto de eficiência energética para sua empresa. E se este artigo foi útil para você, compartilhe-o.

AT_CTA_Rodape_eBook04_EEGM

  • Hilton F. Magalhães

    Fui responsável por três ciclos de projetos de eficiência energética nos Campi da UFRJ que abrangeram sistemas de ar condicionado e iluminação. Representou uma economia que a valor presente está em torno de R$50milhões. De acordo com a resolução 457, as Concessionárias de energia são obrigas a investir 1% do faturamento bruto em pesquisa, desenvolvimento e projetos de eficiência energética. Os gargalos estão, primeiro em sensibilizar o cliente para que se conscientize que investir em eficiência energética é uma medida bem mais barata e, portanto, tem um paybck muito bom. O investimento é pago com a redução das contas de energia. Há contratos de demanda extremamente mal feitos. Há empresas pagando por demanda de energia que não utiliza ou pagando multas exorbitantes por estoura da demanda contratada. O outro gargalo é um plano de financiamento para alavancar o projeto.


Notice: get_currentuserinfo está obsoleto desde a versão 4.5.0! Use wp_get_current_user() em seu lugar. in /home/prsab8yx/public_html/atlaconsultoria.com/wp-includes/functions.php on line 3753